Coleção: Descobrir a História

Edição 1:
Edição 2:
Edição 3:
Edição 4:
Edição 5:
Edição 6:
Edição 7:
Edição 8:
Edição 9:
Edição 10:
Edição 11:
Edição 12:
Edição 13:
Edição 14: Os impérios da Ásia Central  – De Átila a Tamerlão: o poder dos povos das estepes
A história dos impérios surgidos nas estepes da Ásia Central esteve tradicionalmente envolvida em lendas e alguma obscuridade. De personagens como Átila, Gengis Khan, Kublai Khan ou Tamerlão chegaram-nos notícias narradas, sobretudo, pelos seus adversários, o que distorceu a nossa visão em relação aos dez séculos em que aqueles povos nómadas dominaram de forma épica vastos territórios, conseguindo ligar a China à Europa.

Estas civilazações foram fundamentais na história da Eurásia: desenvolveram um comércio sem igual – impulsionado pelo apogeu da Rota da Seda – acompanhado de um intercâmbio de ideias e de saber, que foi essencial para a configuração futura de dois mundos que não se conheciam.

 

 

 

 

CURIOSIDADES

Áreas: História, Matemática
Numeração sexagesimal

A primeira publicação sobre numeração sexagesimal que se tem história é a “Fatos sobre o cálculo de graus e minutos”, em árabe, de 1825. A obra pode ser acessada no site da Biblioteca Digital Mundial.

O sistema sexagesimal é um sistema de numeração de base 60, criado pela antiga civilização Assíria. Uma possível razão para o aparecimento deste sistema de numeração poderá residir no elevado número de divisores de 60 (1, 2, 3, 4, 5, 6, 10, 12, 15, 20, 30 e 60).

Para entender como eles faziam, note que cada dedo, exceto o polegar, tem três dobras. Essas dobras sãos dos ossos, a falange. Ou seja, três contas em quatro dedos soma doze. É um belo aproveitamento do que se tem em mãos, não é?

DO LATIM: a palavra dígitus quer dizer dedos e calculus quer dizer pedrinhas ou seixos.

https://www.wdl.org/pt/